Curso
Curso durante a Reunião Científica
Carga Horária: 6
27 a 29 de outubro de 2004,
09:30-11:20
Sala:
Bloco Didático CD-06
Objetivos
Despertar o interesse pela Psicologia Ambiental
Professor
Hartmut Günther
Mais>>
Monitor
William Ricardo Falcão
Mais>>
Informações Úteis
  • Página do Laboratório de Psicologia Ambiental
  • REPALA
  • Campus Ecology
  •  

    Cronograma
    #
    Data em 2004
    Assunto
    1
    27 de outubro
    • Origens e métodos da Psicologia Ambiental
    • Levantamente das interações pessoa—ambiente num Campus Universitário
    2
    28
    • Mapa cognitiva
    • Algumas teorias da Psicologia Ambiental
    3
    29
    • Planejando estudos de psicologia ambiental no contexto de um campus universitário
    Referências
    Algumas Referências da Área da Psicologia Ambiental
    1. Aragonés, J. I., & Amérigo, M. (Org.). (1998). Psicología Ambiental. Madrid, Espanha: Pirámide
    2. ® Elali, G. A. (1997). Psicologia e arquitetura: em busca do locus interdisciplinar. Estudos de Psicologia, 2(2), 349-362.
    3. Evans, G. W. (1996). Current Trends in Environmental Psychology  Disponível na Internet
    4. Gibson, J. J. (1979/1986). The ecological approach to visual perception. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum.
    5. Gifford, R. (1997). Environmental psychology (2nd.). Boston: Allyn and Bacon.
    6. Günther, H. (1993). Proposta para Recuperação Ecológica de um Campus Universitário: Programa UnB Verde. Brasília, DF: Universidade de Brasília.
      • Parte das propostas foram implementadas entre 1994 e 1996 no Programa UnB Verde, ligado ao Decanato de Assuntos Comunitários (Edeijavá Rodrigues Lira, Decano) da Universidade de Brasília (João Cláudio Todorov, Reitor).
    7. Günther, H., & Rozestraten, R. J. A. (1993). Psicologia ambiental: algumas considerações sobre sua área de pesquisa e ensino. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 9(1),109-124.
    8. Günther, H., Pinheiro, J. Q., & Guzzo, R. (Eds.). (2004). Psicologia ambientral: entendendo as relações do homem com seu ambiente. Campinas, SP: Editora Alínea.
    9. Lynch, K. (1988). A imagem da cidade (J.L. Camargo, Trad). São Paulo, SP: Livraria Martins Fontes.
    10. ® Pinheiro, J. Q. (1997b). Psicologia Ambiental: a busca de um ambiente melhor. Estudos de Psicologia, 2(2), 377-398.
    11. ® Pinheiro, J. Q. (Ed.). (2003). Psicologia Ambiental [Número temático]. Estudos de Psicologia, 8(2). Com os seguintes artigos - menciona-se aqui apenas alguns:
      1. Rivlin, L. G. (2003). Olhando o passado e o futuro: revendo pressupostos sobre as i nter-relações pessoa-ambiente. Estudos de Psicologia, 8(2), 215-220.
      2. Günther, H. (2003). Mobilidade e affordance como cerne dos estudos pessoa-ambiente. Estudos de Psicologia, 8(2), 273-280.
      3. Günther, I. A., Nepumuceno, G. M., Spehar, M. C., & Günther, H. (2003). Lugares favoritos de adolescentes no Distrito Federal. Estudos de Psicologia, 8(2), 299-308.
      4. Peluso, M. L. (2003). O potencial das representações sociais para a compreensão interdisciplinar da realidade: Geografia e Psicologia Ambiental. Estudos de Psicologia, 8(2), 321-327..
    12. Smith, A. A. (1993). Campus ecology: A guide to assessing environmental quality and creating strategies for change. Los Angeles, CA: Living Plante.
    13. Sommer, R. (1973). Espaço pessoal (D. M. Leite, Trans.). São Paulo, SP: EPU - EDUSP.
    14. Sommer, R. (1989). The mushroom curriculum: Using natural history to teach psychology. Teaching of Psychology. 16(2), 84-85.
    15. Sommer, R. (2002). Personal space in a digital age. Em R. B. Bechtel & A. Churchman (Eds.), Handbook of environmental psychology (pp. 647-660). New York: Wiley.
    ® Artigos acessíveis via www.scielo.br 
    atualização 05/01/2005