Disciplina
Disciplina em nível de graduação
Número: 12.5130
Créditos: 04-00-04
Carga Horária: 60 horas/aula
Terças e Quintas, 16:00 - 17:40
Sala: Pav. Anísio Teixeira, AT028
Ementa
A ementa da disciplina Tópicos Especiais em Psicologia Social é flexível, adaptando-se ao conetúdo específico oferecido no semestre. No caso atual, tratar-se-á de questões do trânsito sob a ótica da Psicologia Ambiental.
Objetivos
Um objetivo importante, paralelo desta oferta é desenvolver uma disciplina permanente sobre Psicologia do Trânsito.
Professor
Hartmut Günther
Mais>>
Monitor

William Ricardo Falcão
Mais>>

Atendimento
Atendimento:
A combinar,
Telefone 307.2625 ext 220
e-mails: veja acima
Avaliação
A avaliação basear-se-á nas seguintes atividades:
  • Uma avaliação em sala de aula [20%]
  • Cinco textos breves [20%]
  • Apresentação da pesquisa em forma de painel [20%]
  • Apresentação da pesquisa em forma de artigo [40%]
    Um esboço formatado está disponível neste link.
  • Informações Úteis

    - Rebibliográficos sobre o trânsito do LPA
    - dicas sobre pesquisa na Internet
    - site da ANTP, Associação Nacional de Transportes Públicos
    - revista Transportation Research, acessível via portal de periódicos da CAPES
    - site Think Roadsafety
    - site Transport Connect
    - site IAAP - Transportation
    - site IAAP - Environment

    Cronograma
    # Data em 2004 / 2005 Assunto
    1 28 Setembro Apresentação do programa. Considerações sobre o Projeto de Pesquisa / Trabalho Prático da disciplina - aspectos operacionais.
    2 30

    Considerações sobre o Projeto de Pesquisa / Trabalho Prático da disciplina - aspectos temáticos
    O que é Psicologia do Trânsito? Discussão do texto de Günther (2003b)  [Ambiente, psicologia e trânsito, capítulo em Hoffmann].

    3 5 Outubro O que é Psicologia do Trânsito? Conceito de Transporte vs Trânsito. Deve ter lido os textos de Vasconcelos (1992) e de Wright (1988)
    4 7 A perspectiva da Psicologia Social:
    - agressão
    - conflito e acidente
    5 12 - facilitação social e imitação
    - risco
    6 14 A perspectiva da Psicologia Ambiental:
    - behavior setting
    - mapa cognitivo
    7 19

    - mobilidade
    - affordance
    a Entregar texto breve (1/5) com a definição do tema da pesquisa ou Web e, se for o caso, a definição do grupo de pesqusia

    8 21 A perspectiva contextual:
    - usuário vs operador de equipamento (e.g., passageiro vs condutor)
    - uso recreativo vs utilitário
      26 - 28 Congresso da Sociedade Brasileira de Psicologia em Ribeirão Preto
    9 2

    Modalidades de transporte
    - a pé
    - bicicleta
    a Entregar texto breve (2/5) com a definição do método de pesquisa ou Web

    10 4 Modalidade de transporte
    - motocicleta
    11 9* Transporte individual vs coletivo
    - carro
    - carona
    12 11 Transporte coletivo
    - ônibus
    13 16

    Transporte coletivo
    - bonde, metrô, trem, avião a Entregar texto breve (3/5) com a definição do instrumento e do procedimento da pesquisa ou Web

    14 18 Opções de transporte - intermodalidade
    15 23 Prevenção de acidentes:
    - físico: fatiga, concentração
    16 25 » consultas com monitores e professor « — tempo para coletar dados
    17 30 Prevenção de acidentes:
    - psicológico: personalidade, idade, gênero
    18 2 dezembro » consultas com monitores e professor « — tempo para coletar dados
    19 7 Prevenção de acidentes:
    - educação / legislação: regras, violações
    a Entregar texto breve (4/5) sobre a sua experiência com coleta de dados até este momento
    20 9 » consultas com monitores e professor « — tempo para analisar dados
    21 14 Prevenção de acidentes:
    - engenharia: características de vias, sinalização
    a Entregar texto breve (5/5) sobre a sua experiência com a análise dos dados até este momento
    22 16 Prevenção de acidentes:
    engenharia: características de vias, sinalização
    23 4 janeiro » consultas com monitores e professor « e tempo para analisar dados
    a Entregar texto breve (5/5) sobre a sua experiência com a análise dos dados até este momento
    24 6 Avaliação (sobre assuntos das aulas 1-22)
    25 11 Diagnóstica de competências:
    - seleção
    - orientação e (re-)habilitação de motoristas com problemas
    26 13 Educação do trânsito
    a Entregar o primeiro rascunho do trabalho final
    27 18 O futuro do trânsito:
    sustentabilidade: corredores de transporte, meios alternativos
    28 20 » consultas com monitores e professor « e devolução do rascunho, tempo para preparar o artigo
    29 25 » consultas com monitores e professor « e tempo para preparar o painel
    30 27 Apresentação dos projetos (painel / apresentação oral)
    Avaliação da disciplina
      28 janeiro a Entregar Relatório final (até as 17:30, no Laboratório ou no escaminho do professor)

    Trabalhos Práticos (Projetos de Pesquisa)
    O trabalho prático é um elemento essencial desta disciplina.
    Vide observações sobre temas e datas.
    Você pode escolher entre duas opções:
    (A) Pesquisa Empírica ou (B) Desenvolver um Portal no Web

    Possíveis Temas

    • Pesquisa Empírica
      • Pesquisa em psicologia do trânsito, sob a ótica da psicologia ambiental, relaciona comportamento e/ou estados subjetivos de um lado (o componente psicológico) a algum aspecto do comportamente enquanto participante no trânsito, tendo como pano de fundo o ambiente físico.
      • O pano de fundo para realizar estudos sobre comportamento no trânsito será o Distrito Federal, i.e., vamos estudar o trânsito no DF. Aspectos da psicologia ambiental, social e da ergonomia especialmente relevantes para a psicologia do trânsito serão tratados durante as primeiras oito aulas do semestre
      • O método utilizado variará do experimento, survey, observações, estudos de caso, qualitativo ou quantitativo — desde que seja empírico.
      • Sugerimos que procure os monitores e/ou o professor o mais breve possível para discutir o seu tema, veja datas a seguir.
    • Desenvolver um Portal no Web
      • Imagine querer saber "tudo" sobre alcool / drogas e trânsito ou segurança de crianças na rua ou bicicleta como meio de transporte de pessoas e cargo. Estes são apenas três entre os milhares de possíveis temas para um site no Web. A tarefa seria construir uma página temática. O seguinte link http://www.geocities.com/road_rage_page/ leva a um exemplo que receberia algo como um MM nesta disciplina.
        • Esperar-se-ia mais material, uma análise um pouco mais profundo e mais links.
      • Por outro lado, o seguinte link, http://www.drdriving.org/, sobre o mesmo tema, deve ser fruto de um esforço de muitos anos, bem além do que se esperaria para esta disciplina.

    Datas importantes para o desenvolvimento da pesquisa

    • Um importante segredo para se ter sucesso ao realizar um projeto de trabalho — seja uma pesquisa ou uma página no Web — está no planejamento dos passos do projeto dentro do tempo disponível. Assim, sugerimos que faça todo esforço para seguir este cronograma:
      • até a 7 ª aula, você deve ter definido o tema da sua pesquisa. Isto implica que
        • (a) antes desta aula, você converse com o monitor e/ou com o professor sobre seu tema, para
        • (b) poder entregar, no início desta 7 ª aula, o primeiro texto breve (veja a seguir) no qual informa sobre o tema, justifica a sua escolha e define (a) as variáveis principais da pesquisa ou (b) os principais temas da sua página do Web.
      • até a 9 ª aula, você deve ter definido a metodologia (no caso de uma pesquisa empírica) ou fontes informativas (Web) para poder entregar, no início desta aula, o segundo texto breve, no qual informa sobre o método ou os fontes a serem utilizados.
      • até a 13ª aula, você deve ter preparado o instrumento da pesquisa (pesquisa) ou estrutura da página (Web) para poder entregar, no início desta aula, o terceiro texto breve no qual informa sobre o instrumento ou estrutura que vai utilizar no seu projeto.
      • até a 19ª aula, você deve estar bem adiantado na coleta de dados (Pesquisa) ou montagem da página (Web) para poder entregar, no início desta aula, o quatro texto breve no qual fala sobre sua experiência em coletar os dado ou montagem da página;
      • até a 23ª aula, você deve estar bem adiantado na análise de dados (pesqiusa) ou montagem e checagem dos links (Web) para poder entregar, no início desta aula, o quinto texto breve no qual fala sobre como analizou os dados ou montagem e verificação;
      • até a 26ª aula, você deve ter concluído um primeiro rascunho do seu trabalho final para poder entregá-lo, no início desta aula uma primeira versão do seu trabalho final. Nós o devolveremo
      • s dentro de uma semana com observações tanto sobre a forma quanto sobre o conteúdo.
      • A versão final do trabalho pode ser entregue até 17:30 horas do dia {a determinar} no Laboratório de Psicologia Ambiental ou no escaminho do professor.
      • O trabalho final (pesquisa) deve ser preparado como um manuscrito para publicação — veja na página da revista Psicologia: Teoria e Pesquisa as normas de publicação.
        OU
        Estar no ar
      • Os melhores trabalhos (pesquisa) serão publicados nas páginas dos Textos do Laboratório de Psicologia Ambiental ou terão links no site do LPA.

    Textos breves

    • No decorrer do semestre, você deverá preparar e entregar cinco textos breves de no máximo, uma página -- vide aqui para instruções -- que tratem de diferentes fases da sua pesquisa.
      • O texto deverá ser entregue no dia especificado,
        • pessoalmente, no início da aula,
          ou
        • se por acaso você prevê que não poderá participar daquela aula,
          • por um colega, no início da aula
            ou
          • como documento anexado via internet para o professor e para o monitor [i.é, para ambos] de tal maneira que chegue antes do início daquela aula.
      • Mesmo se, por acaso, você não tiver completado a tarefa de alguma fase até o dia da entrega, você deve preparar um texto breve e comentando sobre o que conseguiu realizar, sobre sua experiência até aquele momento, porque não conseguiu completar a tarefa e até quando e/ou como espera concluir aquela fase do trabalho. Quando você completar a fase de pesquisa em questão, você deverá entregar uma segundo versão do texto breve no qual fala sobre a conclusão da tarefa.
      • A entrega do texto breve fora do prazo implica na possibilidade de não receber feedback; além do mais, cada dia de atraso na entrega implica na perda de 10% do valor da nota daquela atividade.

    Referências
    Não há texto básico para esta disciplina. Algumas referências estão disponíveis neste site, através de links, outras são disponíveis
    S pelo portal www.scielo.br 
    C pelo Portal de Periódicos da CAPES
    X leitura disponível no xerox do Multiuso. No decorrer do semestre podem ser indicadas leituras novas.
    * recomenda-se a aquisição deste livro

    1. Caiafa, J. (2002). Jornadas urbanas: exclusão, trabalho e subjetividade nas viagens de ônibus na cidade de Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: FGV editora.
    2. Cunha, L. F. (2003). Essa via convida para correr? Influência de elementos físicos da via urbana no comportamento de velocidade dos motoristas. Brasília, DF: UnB, Instituto de Psicologia (Dissertação de Mestrado). resumo
    3. S Farage, L., Colares, V. S., Capp Neto, M., Moraes, M. C., Barbosa, M. C., & Branco Júnior, J. A. (2002). As medidas de segurança no trânsito e a morbimortalidade intra-hospitalar por traumatismo craniencefálico no Distrito Federal. Revista da Associação Médica Brasileira, 48(2), 163-166.
    4. Glaser, H. (1986). Das Automobil: Eine Kulturgeschichte in Bildern [O carro: uma história cultural por meio de imagens]. München: C. H. Beck.
    5. C Groeger, J. A., & Rothengatter, J. A. (1998). Traffic psychology and behaviour. Transportation Research Part F, 1, 1-9.
    6. Günther, H. (2003a). Como elaborar um questionário. (Série: Planejamento de Pesquisa nas Ciências Sociais, N° 01). Brasília, DF: UnB, Laboratório de Psicologia Ambiental.
    7. Günther, H. (2004) Como elaborar um relato de pesquisa. Série: Planejamento de Pesquisa nas Ciências Sociais, N° 02). Brasília, DF: UnB, Laboratório de Psicologia Ambiental.
    8. Günther, H., & Rozestraten, R. J. A. (1993). Psicologia ambiental: algumas considerações sobre sua área de pesquisa e ensino. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 9(1),109-124.
    9. * Hoffmann, M. H., Cruz, R. M., & Alchieri, J. C. (Orgs.). (2003). Comportamento humano no trânsito. São Paulo: Caso do Psicólogo.
      Pelo menos, os seguintes capítulos deste livros serão utilizados na disciplinas:
      1. Corassa, N.: Uso do carro como uma extensão da casa e os conflitos no trânsito. (pp. 61-74).
      2. Cruz, R. M., & Hoffmann, M. H.: Metodologia da pesquisa do trânsito. (pp. 155-169).
      3. Günther, H.: Ambiente, psicologia e trânsito: reflexões sobre uma integração necessária. (pp. 49-57). [texto disponível neste link]
      4. Hoffmann, M. H., & Cruz, R. M.: Síntese histórica da psicologia do trânsito no Brasil. (pp 17-29).
      5. Hoffmann, M. H., & Legal, E. J.: Comportamento agressivo e acidentes no trânsito (pp. 395-413).
      6. Hoffmann, M. H., & Luz F., S. S.: A educação como promotora de comportamentos socialmente signifiativos no trânsito (pp. 105-119).
      7. Machado, A. P.: Um olhar da psicologia social sobre o trânsito. (pp. 123-133).
      8. Rozestraten, R. J. A.: Ambiente, trânsito e psicologia. (pp. 33-46).
      9. Silva, A. L. P., Hoffmann, M. H., & Cruz, R. M.: Psicologia no trânsito: possibilidades de atuação e benefício social. (pp. 173-186).
    10. Kay, J. H. (1997). Asphalt nation: How the automobile took over America and how we can take it back. Berkeley, CA: U California Press.
    11. Lynch, K. (1988). A imagem da cidade (J.L. Camargo, Trad). São Paulo, SP: Livraria Martins Fontes.
    12. S Marin, L., & Queiroz, M. S. (2000). A atualidade dos acidentes de trânsito na era da velocidade: uma visão geral. Cardernos de Saúde Pública (Rio de Janeiro), 16(1), 7-21.
    13. Milgram, S. (1970). A experiência de viver na cidade: Adaptações à sobrecarga urbana criam qualidades características à vida nas cidades que podem ser mensuradas (Série: Textos de Psicologia Ambiental, Nº 06). Brasília, DF: UnB, Laboratório de Psicologia Ambiental. Disponível neste link. (1970).
    14. C Mokhtarian, P. L., & Salomon, I. (2001). How derived is the demand for travel? Some conceptual and measurement considerations. Transportation Research Part A, 35, 695-719.
    15. Mokhtarian, P. L., Salomon, I., & Redmond, L. S. (2001). Understanding the demand for travel: It's not purely 'derived'. Innovation, 14(4), 355-380.
    16. S Moyano Diaz, E. (1997). Teoría del comportamiento planificado e intencíon de infringir normas de transito en peatones. Estudos de Psicologia, 2(2), 335-348.
    17. Moyano Diaz, E. (ed.). (1999). Psicología social y seguridad de tránsito. Santiago, Chile: Editorial Universidad de Santiago.
    18. Risser, R. (2004). Estudos sobre a avaliação psicológica de motorista. São Paulo; Casa do Psicólogo.
    19. X Rozestraten, R. J. A. (1988). Psicologia do trânsito: conceitos e processos básicos. São Paulo: EPU/EDUSP.
    20. Shinar, D. (1978). Psychology in the road: The human factor in traffic safety. New York: Wiley.
    21. Silva, A. V. (1999). Comportamento de motoristas de ônibus: itinerário urbano, estressores ocupacionais e estratégias de enfrentamento. Brasília, DF: UnB, Instituto de Psicologia (Dissertação de Mestrado).
    22. Silva, A. V., & Günther, H. (2004). O que pode 'estressar' os motoristas de ônibus? Revista dos Transportes Públicos, 26(101), 97-107.
    23. Sommer, R. (1973). Espaço pessoal (D. M. Leite, Trans.). São Paulo, SP: EPU - EDUSP.
    24. X Sommer, R. (2003, 18 de maio). Where have all the cyclists gone? Davis Enterprise, p. A1 - OpEd.
    25. X Vasconcelos, E. A. (1992). O que é trânsito? São Paulo, SP: Ed. Brasiliense.
    26. X Wright, Ch. L. (1988). O que é transporte urbano? São Paulo, SP: Ed. Brasiliense.
    atualização 10/20/2006